Por que não se abalar com a cultura do preço baixo

Preço é, geralmente, um assunto polêmico na fotografia. E, de uns tempos para cá, com alguns fotógrafos “colocando o preço lá em baixo”, muitos profissionais se vêm preocupados com a questão.

Para refletir sobre isso, abaixo você confere 8 pontos que farão você perceber que, mais importante do que o preço que você cobra, é o VALOR do seu trabalho (e, basicamente, o que você faz com o dinheiro que ganha e como você está usando ele para investir em você e no seu negócio).

1- É fato que ser fotógrafo e, ao mesmo tempo, empresa, não é fácil. Então, provavelmente você precise contratar outros profissionais (como, por exemplo, profissionais especializados em tratar imagens, diagramadores para seus álbuns, um contador, ajudantes para fotografar, uma pessoa responsável pelo marketing etc.). Isso tudo pode, em alguns momentos, parecer gastos extras, mas, logo você perceberá que se tratam de investimentos.

2- Sim, é verdade que “equipamento não faz o fotógrafo”, mas é fato que você, enquanto fotógrafo, precisará trabalhar com um bom material e, além disso, precisará ter sempre equipamentos fundamentais como reserva. Já imaginou se a máquina ou a lente quebram em meio a um casamento?! O que os clientes pensariam de você? Eles te indicariam para amigos?

3- Um bom fotógrafo também deve investir em estudos: workshops, livros, cursos, enfim, tudo aquilo que trouxer mais conhecimento para a sua formação profissional e/ou pessoal.

4- Ter uma boa apresentação pessoal é fundamental, afinal, você é a própria imagem de sua empresa. Mas, vale destacar, falar em apresentação não significa somente “se vestir bem”, estar com o cabelo arrumado e a barba feita… Mas, sim, saber como se comportar na hora de lidar com seus (possíveis) clientes, isso sem perder sua essência.

5- Ter objetivos bem traçados. Qual é seu “foco principal”? (por exemplo: ser conhecido no país inteiro? Ter uma agenda cheia o ano todo? Ser referência na sua cidade?). Além deste objetivo principal, é importante estar constantemente montando estratégias menores, mas que levarão você ao seu objetivo maior.

6- Autoestima também é essencial no seu negócio, não se esqueça disso! Mantenha a motivação pessoal sempre alta. Acredite no seu potencial e nunca deixe de investir em você.

7- Inovar também é importante. Sim, você enquanto fotógrafo deve ter uma característica marcante, mas isso não significa que deve fazer sempre as mesmas fotos, do mesmo jeito… Pare e pense: nos últimos 10 trabalhos, você tentou uma ideianova?

8- Qual “currículo” você tem apresentado aos noivos?Você pode ter no seu “currículo”, por exemplo, inúmeros workshops ou fotos premiadas; pode apresentar seus trabalhos mais notáveis; enfim, mostre algo significativo, mas, claro, sempre com simplicidade. Mostre também que está ali para atendê-los, pois, especialmente quando o assunto é casamento, os noivos buscam no fotógrafo contratado afinidade, atenção (além, é claro, de competência).

Todos esses tópicos podem parecer óbvios demais para você, mas parar para pensar neles é, sobretudo, uma maneira de refletir sobre o preço que você cobra, sobre o VALOR que tem seu trabalho.

Afinal, engana-se quem pensa que ser fotógrafo é simplesmente “comprar uns equipamentos e começar a tirar fotos”; que “um fotógrafo basicamente não tem gastos e, por isso, deveria cobrar mais barato”.

Ao refletir sobre o real VALOR do seu trabalho fica mais fácil pensar sobre o preço e, sobretudo, se sentir confiante em relação a isso, independentemente da tal “cultura do preço baixo”.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *