Nakayana Matias, baiana, fotógrafa membro do diretório Inspiration Photographers, conta com uma galeria com lindas fotos premiadas e um premio no The Best Wedding pelo Inspiration, recentemente foi indicada ao Lente de Ouro 2017 nas categorias Revelação do Ano e Casamento do Ano.

“adoro fotografar tanto quanto gosto de torta de limão. Há quatro anos, iniciei a minha carreira profissional na fotografia infantil. Vivi a experiências de fotografar alguns casamentos e assim me descobri apaixonada por essa vertente.”

 

 

Como entrou na fotografia?
Percebo que a fotografia sempre esteve presente em tudo na minha vida, só não imaginava que um dia essa seria a minha profissão. Meu pai sempre foi um cara dedicado a registrar todos os momentos que eram possíveis em nossa família, era um hobby, assim tenho momentos ímpares da nossa história de vida documentada; o dia do meu nascimento, os primeiros meses de vida, a minha infância, os passeios dos finais de semana, enfim. Contudo, foi ao final da minha vida acadêmica que tive a oportunidade de trabalhar como designer, isso em meados dos anos 2013 e 2014. Cheguei a acreditar que pudesse ser ilustradora! Comecei a fotografar para complementar as artes gráficas que produzia e foi após esse momento que a fotografia se fez presente como um trabalho remunerado. Essas imagens que produzi, posso dizer que foram o “pontapé” para a minha carreira como fotógrafa profissional e naquela época eu jamais imaginaria as proporções que a profissão me conduziria.

 

Em sua opinião, quais são os componentes mais importantes para uma boa fotografia?
O domínio da Luz é muito importante. De igual modo, tenho comigo que além dos aspectos estéticos é preciso aliar um momento significativo para alcançarmos uma boa fotografia; gosto da autenticidade das situações.

 

Qual será o futuro da fotografia?
Compartilho da ideia na qual a Fotografia sempre será o elemento de maior força para ilustrar os nossos feitos pessoais; ela nos permite acessar aquele acontecimento singular. Desse modo, a fotografia profissional tem o seu valor bem estabelecido. Mesmo com a grande influência midiática de consumo de tecnologias mobiles, com todo o imediatismo das informações; é inegável que os seres humanos são carentes que contato com pessoas reais, que demonstrem cuidado, que percebam com delicadeza o momento vivenciado qual está sendo retratado. Percebo as famílias ainda mais preocupadas em ter seus registros bem guardados e documentados por um profissional. Eu sou adepta de novas tecnologias mobiles e não creio que esta reduza ou substitua um profissional da fotografia, do mesmo modo não acredito que as novas possibilidades disponíveis como a extração e impressão de frames anulem todos os atributos de um profissional que se especializa em narrar uma grande fatia da história em um único clique. Acredito que apenas nos aproximaremos para agregar conhecimentos e gerar novas vertentes; só tende a ser enriquecedor. Do mesmo modo, os novos recursos disponíveis com os avanços tecnológicos de nosso mercado, da competitividade de empresas para apresentação de inovações; só nos supre de maiores possibilidades para atendermos nossa criatividade.

 

Como você lida com as críticas?
Críticas são importantes para nosso crescimento profissional. Talvez possam estar evidenciando justamente alguma fragilidade no trabalho desenvolvido e que por vezes não havíamos diagnosticado anteriormente; desse modo torno-as construtivas. Analiso-as com cautela para saber se há algo com o qual de fato eu possa potencializar a minha fotografia, se não, sigo em frente. É só trabalhar duro, manter o equilíbrio e está tudo certo!

 

Gostaria de fotografar um trabalho junto com algum colega fotógrafo(videomaker) no mundo que admire? Se sim com quem gostaria?
Admiro alguns muitos fotógrafos! Adoraria fotografar com os ilustríssimos: Sebastião Salgado, Walter Firmo, Steve McCurry ou ter fotografado com Pierre Verger.

 

Você faz algum outro tipo de fotografia (vídeo) além da sua profissão ou pensa em fazer?
Minha companheira (Aline Bezerra) é fotógrafa de newborn e tem um estúdio infantil, então, volta e meia estou presente em alguma das sessões. Contudo, a única vertente na qual eu fotografo crianças hoje é o lifestyle.

 

Quem te inspira na sua vida e quem o inspira na sua carreira e porquê?
Para minha vida inspiro-me em pessoas que deixaram um legado de amor, equilíbrio, bondade, humildade e paciência; Jesus, Madre Teresa de Calcutá, Mahatma Gandhi… Retiro lições para me tornar um ser humano melhor. Em minha carreira vou absorvendo lições que me tornem uma profissional melhor, no sentido amplo, me inspiram; meu pai que é sinônimo de trabalho e dedicação, da minha mãe em sua afetividade e da minha companheira (Aline) por sua organização constante, domínio sobre as situações e sua resiliência. Somos uma mescla de experiências, de pessoas que conhecemos, de lugares que já viajamos e de muitas fotografias que observamos e que guardamos como repertório.

 

Qual equipamento você usa atualmente para trabalhar?
Trabalho com equipamentos Canon; tenho a 6d como corpo e em meu kit de objetivas; 24-105 mm, 50 mm e uma 35 mm, além de flash 600ex.

 

Que recursos você prefere usar para aprender novas técnicas e se manter atualizado na profissão, por exemplo, palestras, workshops, cursos on line, livros?
Aproveito de tudo que eu posso para agregar conhecimento. Por residir no interior do estado da Bahia, por vezes, acaba sendo oneroso me deslocar para fazer todos os workshops e cursos de que gostaria. Assim, programo-me tentando sempre unir o máximo de oportunidades nas viagens que realizo. Eu faço dos livros aliados, escuto podcasts e assisto cursos online também.

 

O que você procura transmitir com as suas fotos?
Quero transmitir simplicidade, a autenticidade do momento. Gosto da sensação de leveza, do contato físico, da conexão entre todos os fatos que estão bem debaixo de nossos olhos.

 

Você tem algum Hobbie ?
Amo jogo de caça palavras.

 

Se pudesse escolher qualquer lugar no mundo para viver qual seria?
Gosto de viver no Brasil. Além de ser otimista, adoro a diversidade existente do país.

 

Um sonho realizado?
Viver de fotografia.

 

Que fatores você acredita que contribuíram para você ter chegado até onde esta hoje?
Acima de tudo acredito que Deus tem um propósito a cada etapa que vamos galgando; ter fé é fundamental para qualquer jornada. Eu tenho a fotografia como a minha missão de vida, tem muito amor e dedicação em tudo que me proponho a executar. Preocupo-me em aproveitar cada trabalho, esforço-me para enxergar de forma ampla as histórias ao meu redor, de perceber as pessoas, ter sensibilidade e cuidado e assim vou construindo novas oportunidades.

 

Se você pudesse enviar uma mensagem para você mesmo 5 anos atrás, qual seria essa mensagem?
“Experimente utilizar a câmera do seu pai hoje! A fotografia vai mudar a sua vida!”

 

Deixe seu recado para o mundo aqui sobre o que quiser.
Seja grato e gentil, essas atitudes farão a diferença.

 

Confira alguns trabalhos de Nakayana Matias

 

2 Comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *